Dakota @ 17:12

Qua, 11/11/09

Assim, à Margarida ... (a gaja sabe-a toda; ai não sei quê e não sei que mais e é literatura light e não sei que outro, mas vende-se - os livros, não a Margarida, e se se vender, na boa! não tenho nada com isso - que nem ginjas, ou castanhas, já que estamos na época delas - das castanhas).

 

Bom, mas não é para falar de MRP (mais um P e era MRPP eheh e agora estou a imaginar a Margarida e o Garcia Pereira juntos ... em lençóis de seda ... às penas tantas ele não sabia dela ... aquilo escorrega muito) ... bom, como dizia, não foi da Margarida que vim aqui falar (este interlúdio foi só por causa do título do post).

 

Vim aqui dizer que não compreendo porque é que o Maldonado implica tanto com a Pipoca com açúcar. Fui lá parar via xukebox via Juvenal e li o último post da miúda e ela até me parece sensata (se calhar não - vai casar, pelos vistos). Ela sabe o que é. Diz ela que "Não sou ninguém". Ela, não eu. Digam-me lá com justiça se alguém que não tenha os tomates errrr, o neurónio no sítio é capaz de ser tão seguro de si para afirmar uma coisa assim? Não, pois não? Isto faz-me lembrar aquele gajo daquele Auto de que agora não me estou a lembrar o nome que veio não sei de onde e atira com esta quando lhe perguntam quem é ele ... e ele NÃO SOU NINGUÉM. Não sei porquê mas nele soa melhor ... (a mais humildade).

 

(PS: não me apetece guerrear; apenas estou estúpida hoje ... Estou. Não sou. E quando estou estúpida, escrevo em papel higiénico e coisa e tal ... Hã? Não é Pipoca com açúcar? É o quê então? Pipoca com sal? Não me parece ...)



jrd @ 22:39

Qua, 11/11/09

 

Sabe! sabe! Acima de tudo escrever. Muito bom!

Dakota @ 10:37

Qui, 12/11/09

 

:) Sim, suponho que sim. No entanto é assim uma espécie de Corín Tellado ou Barbara Cartland ...
Já não bastava a história da cinderela que nos impingem em miúdas ... :) Casaram e foram felizes para sempre ...

pensar nisso. nisso é tudo e nada.
Ligações
Pesquisar
 
blogs SAPO